Estou desempregado, e agora o que fazer ?
 
1 - Introdução
Decidi escrever este artigo baseado em minhas experiências profissionais e em dicas que já consegui coletar ao longo desses últimos meses em que me encontro desempregado, meu objetivo é contribuir com aqueles que estão em situação semelhante muitas vezes sem noção de como proceder estando suscetível a cair em armadilhas e agravar ainda mais sua condição.
 
2 - Ciclos do Desemprego
Optei por dividir em 3 ciclos os processos que vão desde o desligamento do emprego anterior até a recolocação no novo emprego, dessa forma viso facilitar o entendimento e como proceder em cada uma dessas etapas, são elas: Desligamento, Traçando Metas e Objetivos e A Conquista de um Novo Trabalho.
 
2.1 - Desligamento
Considero esta fase a mais "crítica" mas não menos importante, é difícil descrever um processo que envolva todas as variáveis possíveis por isso estou procurando abordar o maior número delas.
 
2.1.A - Burocracia
Não vou abordar aqui as razões pelo qual você está se desligando do emprego atual, vamos nos ater ao que fazer nesta etapa.
Primeiro resolva as questões burocráticas: rescisão do contrato de trabalho, baixa em carteira, posse das guias de entrada no seguro-desemprego, guias de recuperação do FGTS, etc.Caso tenha alguma dúvida nesse processo peça auxílio ao RH da própria empresa, se por algum motivo isso não for possível recorra ao auxílio profissional de um Advogado especializado em Leis Trabalhistas, não para abrir um processo ou algo do gênero mas para orientá-lo em como agir.
Respeitados os prazos estabelecidos nessas guias você já pode "dar entrada" no Seguro-Desemprego em qualquer Poupatempo e retirada do FGTS em qualquer agência da Caixa Econômica Federal.
 
2.1.B - Despedidas
Muitas vezes fazemos amigos em nosso ambiente de trabalho, independente dos problemas que tivemos e das razões que nos levaram ao desligamento da empresa é importante manter esses laços de amizade, aproveite para trocar números de telefone e endereços de e-mail com os mais chegados, não se esqueça de se despedir de todos (mesmo aqueles com o qual não tenha tanta afinidade), isso demonstra caráter e maturidade.
 
2.1.B - Tempo de descanso e reflexão
Nesta altura o melhor a fazer é relaxar um pouco, procure colocar sua cabeça no lugar, se ficou um bom período sem férias aproveite e tire ao menos uma semana para descanso e por um breve momento esqueça dos seus problemas.
O parágrafo acima pode parecer um contracenso com o que dizem alguns especialistas, mas o processo de recolocação no mercado de trabalho é desgastante e exige muito do "emocional" do indivíduo, portanto, é melhor estar preparado para as etapas futuras.
Aproveite também esse período para refletir sobre seus erros profissionais ou comportamentais, o que deve ser feito para evitá-los no próximo emprego.Lembre-se, ninguém é perfeito e todos nós erramos, o mais importante é reconhecer e aprender com os próprios erros.
 
2.1.C - Planejamento Financeiro
Trabalhando ou não é igualmente importante saber controlar nossas despesas, mas na condição de "desempregado" o planejamento financeiro é quase que uma obrigação, todos nós temos contas para pagar, dívidas a saldar, temos que nos alimentar, nos vestir, enfim, é hora de definir prioridades e cortar despesas.
Não existe uma regra básica de como proceder, cada indivíduo tem um padrão de vida, tem um montante à receber que pode ou não ser suficiente por um bom tempo mas acredito que as 5 dicas a seguir se encaixa na grande maioria das situações:
 
1a. Com os recursos do FGTS em mãos procure reservar uma parte para quitar as principais contas e saldar dívidas, aproveite para remover seu nome de Órgãos de Proteção ao Crédito, é polêmico mas algumas empresas fazem esse tipo de verificação antes de contratar um novo funcionário.
 
2a. Reserve as parcelas do Seguro-Desemprego para despesas fixas mensais, de forma total ou complementar essas parcelas lhe serão úteis nos próximos meses.
 
3a. Vivemos em um mundo essencialmente Capitalista e tudo é feito para nos induzir a consumir cada vez mais, portanto, controle seus instintos mais consumistas e por mais que você tenha "dinheiro na mão" este não é o melhor momento para trocar de carro ou comprar aquela TV de Plasma de 42".
 
4a. Refaça seu orçamento e provisione recursos para até 12 meses, corte gastos desnecessários, exclua os supérfluos de sua lista de mantimentos, economize em serviços de Telefonia e Internet, deixe o carro na garagem e vá a pé, se necessário utilize o transporte coletivo. Aos "pai de família" reúna todos os membros e explique que não é momento para desespero mas para racionalizar as despesas, o diálogo e a transparência são essenciais nesse processo, só assim todos poderão colaborar para que juntos superem esta fase.
 
5a. Não se esqueça de reservar recursos para possíveis entrevistas de trabalho, pode não parecer mas procurar trabalho é dispendioso, despesas com deslocamento e alimentação são importantes, procure se alimentar bem antes de sair de casa mas não deixe de levar uma quantia para se alimentar.Para trabalhar precisamos estar saudáveis, seja física ou emocionalmente uma entrevista de trabalho pode ser algo muito desgastante.
 
2.2 - Traçando Metas e Objetivos
Bom, já cuidamos da burocracia, colocamos as contas em dia e cortamos os gastos desnecessários, agora vamos nos concentrar em buscar e conquistar um novo emprego.
 
2.2.A - Análise do Seu Perfil Profissional
O auto-conhecimento é considerado hoje um fator que pode estabelecer o limite entre o sucesso e o fracasso, filosofias a parte, considero importante uma reflexão sobre você mesmo, onde está hoje e para onde deseja ir amanhã.
Gostar de fazer alguma coisa não implica necessariamente em fazer bem alguma coisa, durante minha vida profissional tenho visto uma infinidade de profissionais que adoram trabalhar com TI mas nem todos são bons profissionais.Sabemos que profissões ligadas a TI estão na moda, portanto, tome cuidado para não cair nesse dilema, procure escolher uma profissão que lhe traga satisfação mas principalmente onde sua habilidade natural possa ser sua aliada.
A Sociedade está repleta de profissionais nos mais diversos ramos de atividade e é bem verdade que nem todos tem seu mérito reconhecido mas não pense você que o cargo de limpeza em um escritório é o cargo menos importante, imagine uma semana sem que ninguém recolha o lixo, ninguém varra o chão, ninguém tire a poeira dos móveis e equipamentos, imaginou? Então trate com mais carinho, cordialidade e respeito o senhor ou a senhora que executa essa tarefa em sua empresa ou em sua casa.Agora imagine, será que se você se ausentar durante uma semana, seu trabalho fará tanta falta assim? Reflita...
É claro que é importante gostar do que se faz mas o mais importante talvez seja se sentir bem naquilo que se faz, embora eu goste muito de música não tenho a mínima habilidade natural para tocar algum instrumento ou mesmo cantar, quando escolhi minha profissão optei por aquela onde minha habilidade natural contribuísse a meu favor, tenho facilidade para aprender e gosto de eletrônica, esses fatores foram determinantes para meu ingresso na carreira em TI, aos poucos com estudo e experiência muitas barreiras foram superadas e isso ajudou a construir meu perfil profissional.
Então mãos à obra, avalie suas experiências anteriores, analise seus pontos fortes e fracos, o que gosta de fazer e o que tem habilidade para fazer, os desafios que enfrentou no trabalho anterior, o que você faz com facilidade que outros tem dificuldade em fazer, recolha informações sobre você mesmo pois logo mais você irá precisar delas.
 
2.2.B - Análise do Mercado de Trabalho
Nada melhor que conhecer o terreno onde pisa, por isso acho importante saber como anda o mercado de trabalho para a sua área, como está a empregabilidade, os salários, onde estão as melhores oportunidades, aqui você deverá traçar um paralelo e avaliar as carecterísticas do seu perfil profissional com aquilo que o mercado de trabalho efetivamente busca.
Existem várias formas de analisar o mercado de trabalho, eu destaco 2 delas.A primeira coisa a fazer é contactar pessoas conhecidas que atuam no mesmo ramo profissional que você, investigue com elas como está o mercado, o nível salarial, os benefícios e as oportunidades de trabalho.
Já que estamos na chamada Era da Informação e a Internet é o grande veículo para compartilhar informação, por quê não fazermos uso dela? A proposta aqui é buscar por sites, foruns e grupos de usuários que se inter-relacionam diretamente com o mercado de trabalho, pesquise as vagas, os salários, as exigências, o modelo de contratação e as áreas geográficas mais propícias ao seu campo de atuação, aqui um pequeno adendo, "não apenas áreas geográficas que tem mais vagas disponíveis mas regiões onde tem menos profissionais qualificados à estas vagas."
Mas por que analisar o mercado de trabalho?
Talvez você esteja se fazendo essa pergunta e eu explico: Dessa forma você pode traçar um paralelo entre o que você busca e o que o mercado oferece, lembre-se não adianta você querer atuar como Analista Programador querendo ganhar R$ 10.000,00 por mês se o mercado oferece em média R$ 5.000,00, esteja preparado para começar por baixo, nem sempre em um novo emprego você conseguirá uma posição semelhante ao que anteriormente ocupava, seja no nível organizacional, seja no nível salarial.
Baseado nesse estudo estabeleça suas metas iniciais de função, salário e local onde pretende trabalhar.
 
2.2.C - Modelo de Contratação
Muito tem se falado sobre Terceirização e os benefícios práticos na redução de custos para a empresa mas pouco se fala sobre o que é melhor para o profissional, tenho percebido muitos profissionais que não conhecem esses modelos e diante de algumas oportunidades de trabalho acabam confusos e tomam a decisão errada que pode afetar suas carreiras no futuro.
Embora não seja diretamente o escopo deste artigo vou abordar brevemente os principais modelos de contratação atuais sobretudo para o Mercado de TI.
Temos 3 modelos de contratação, CLT, CLT Flex e PJ (Pessoa Jurídica).
 
A CLT é objeto de discussão entre profissionais e empregadores principalmente no que tange aos altos encargos destinados ao Governo, teoricamente um empregado contratado pela CLT por R$ 1000,00 mensais acaba custando ao empregador R$ 2.000,00 mensais, ou seja, o dobro para o empregador.
Do valor destinado ao funcionário basicamente uma parte é descontada "em folha" para despesas de Vale-Refeição, Vale-Transporte e INSS.
No regime CLT o funcionário possui um contrato de trabalho firmado entre o empregador e ele, sua função e salários são devidamente registrados na Carteira de Trabalho, o funcionário possui pela Lei direto a 30 dias de férias a cada 12 meses de trabalho, 13o. salário, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço após rescisão do contrato e pode de acordo com a empresa ter direito a outros benefícios.
Do ponto de vista legal, o regime CLT é o único modelo de contratação que realmente beneficia o trabalhador, é fruto de uma luta de décadas para que o trabalhador tenha seus direitos assegurados pela Lei, portanto, mesmo considerado "arcaico" por muitos especialistas sendo necessário passar por uma revisão ainda é a melhor forma para a maioria dos trabalhadores estabelecer um vínculo empregatício.
 
A CLT Flex de "Flexível" tem o objetivo de estimular os empregadores a contratação com registro em carteira e assegurar aos trabalhadores os mesmos direitos que a CLT oferece.O "por menor" desse modelo de contratação é que somente parte do salário é devidamente registrado em carteira, darei como exemplo um trabalhador que foi contratado por R$ 1000,00 mensais pelo regime CLT Flex, sendo que somente R$ 500,00 são registrados em carteira, os outros R$ 500,00 são pagos "por fora".
A princípio pode não parecer estranho mas devo lembrar que todos os benefícios ao qual o trabalhador tem direito incidem apenas sobre os R$ 500,00 registrados em carteira, isto significa que, o 13o. salário, as férias e o FGTS em caso de rescisão de contrato são baseados nos R$ 500,00 e não nos R$ 1000,00 que o funcionário efetivamente recebe.
É importante frizar que este regime não é amparado pela Lei e em caso de processo trabalhista existe grande possibilidade do trabalhador reaver seus direitos baseados nos R$ 1000,00 mas para isso deve comprovar que realmente tinha como salário o valor além do que está registrado na carteira.
Algumas empresas podem oferecer a outra parte não registrada em carteira em forma de benefícios, como Cursos de Especialização, Treinamentos, Equipamentos, etc, de qualquer forma é importante que este valor "por fora" esteja documentado de alguma forma, geralmente devendo ser incluído no Contrato de Trabalho, esse procedimento evita também que no futuro a empresa por conta própria cancele esses benefícios que não foram devidamente registrados.
 
Pessoa Jurídica, para ser contratado como PJ o profissional deve ter "Empresa Aberta" o que significa que atuará como prestador de serviços terceirizado, portanto, este deverá arcar por conta própria por todos os encargos pertinentes a execução do serviço, emissão de nota fiscal e despesas com Contador, neste modelo o profissional não tem direito aos benefícios que um trabalhador regular da empresa possui, ou seja, férias, 13o. Salário e FGTS não são contemplados, embora algumas empresas possam extender esses benefícios aos seus funcionários terceirizados mas isso não é obrigatório.
Pela Lei esse regime de contratação é controverso, pois na prática um profissional contratado como PJ acaba sendo dono e empregado ao mesmo tempo, as chamadas "empresas de um funcionário só".
O modelo de Terceirização propõe oferta de mão-de-obra especializada com custos menores, ela também propõe que uma empresa devidamente incorporada preste serviços a outra "cliente" com profissionais em seu quadro de funcionários contratados em regime CLT, porém no mercado de trabalho há algumas empresas contratando profissionais como PJ e sub-locando-os em seus clientes, ou seja, a mão-de-obra acaba efetivamente atuando na quarteirização e até mesmo na quinteirização dentro da cadeia produtiva.
Por outro lado, alguns profissionais preferem esse modelo de contratação, pois recebem de forma líquida todo valor de suas horas trabalhadas, sem qualquer tipo de desconto, para alguns, administrar seu próprio dinheiro é sinônimo de liberdade e empreendadorismo, além disso os salários como PJ a primeira vista são bem mais atraentes que os salários como CLT.
 
Aqui deixo em aberto para você refletir, não irei expressar minha opinião para não influenciá-lo a optar por um modelo ou por outro mas saiba que existem profissionais satisfeitos e insatisfeitos independente do regime adotado.
 
2.2.D - Objetivo Profissional
Neste ponto, já devemos ter coletado a maioria das informações necessárias para definir nossos objetivos, conhecemos a nós mesmos, o mercado de trabalho e suas variáveis e já optamos por qual vínculo empregatício teremos em nosso próximo emprego, definido o objetivo profissional, temos a função e pretensão salarial.
 
2.2.E - Elaborando Currículos
Finalmente temos base para fazer nosso currículo, existem muitas dicas de como elaborar o "currículo perfeito", eu não acredito em currículos perfeitos mas acredito que podemos fazer um currículo dando ênfase em pontos nos quais nos destacamos profissionalmente e coloco algumas dicas a seguir:
 
1a. O poder de síntese é essencial na elaboração de qualquer currículo, saber expressar suas habilidades, conhecimento, experiência e objetivo profissional sem com isso escrever um "livro" é a chave do processo e acredite até isso pode ser avaliado na contratação, um currículo deve conter no máximo 2 páginas, enfatize o que realmente é importante para quem está contratando, os detalhes deixe para a entrevista pessoal, um exercício interessante é se colocar no lugar de um recrutador e ver se seu currículo desperta seu próprio interesse.
 
2a. Por mais criativo que você seja, o currículo não é lugar para firulas, florzinhas e outros adornos.No currículo deve conter informação e na forma de texto, escolha uma fonte (tipo de letra) simples e no tamanho que qualquer pessoa possa ler sem muito esforço, divida-o em forma de tópicos, como exemplo:  Dados Pessoais, Objetivo Profissional, Experiência, Formação, Idiomas e Outras Informações, neste último tópico procure sintetizar com o que gosta de fazer, seu perfil pessoal, projetos pessoais ou algo que julgue relevante.
 
3a. Colocar ou não foto? Muitos tem essa dúvida, aqui não existe uma regra clara e por Lei a foto de um candidato não pode ser exigida pelo empregador exceto para cargos onde esta seja realmente imprescindível, exemplo: Modelo Fotográfico.
Particularmente não acredito que a foto agregue algum diferencial no currículo, deixo a seu critério.
 
4a. Dados Pessoais, o que colocar?
Muitas vezes ficamos preocupados (e com razão) em colocar dados pessoais em algo que irá passar por muitas mãos, nesse caso só o essencial como estado civil, idade, ano de nascimento, endereço ou somente o bairro onde reside e um telefone e e-mail para contatos, no telefone pode ser só o celular, embora alguns especialistas recomendem colocar um telefone fixo também mesmo que somente para recados, aqui fica a seu critério.
Dados de documentos somente após a aprovação na entrevista, ou seja, no processo de contratação.
 
5a. Trabalhei em muitas empresas e tenho muita experiência, isso tudo não cabe em 2 páginas, o que faço?
Se realmente não for possível sintetizar todas as informações em 2 páginas utilize como mecanismo eliminatório a ordem cronológica das experiências, ou seja, coloque apenas as mais recentes, numa availação as experiências anteriores mais recentes são as mais importantes, essa dica vale também para a formação e cursos complementares.
 
2.2.F - Distribuindo Currículos
No passado os currículos eram entregues pessoalmente ou via Correios, hoje com a Internet podemos enviá-los por E-Mail e para sites de Empregos, esse processo facilitou um pouco a vida do desempregado pois podemos enviar currículos sem sair de casa, por outro lado perdemos o contato "físico" com as pessoas o que em alguns casos pode atrapalhar no processo de seleção, por isso é ainda mais importante a elaboração de um bom currículo pois ele representará o profissional que você realmente é até ser chamado para uma entrevista.
Muito tem se falado sobre as Redes de Contatos, e há quem diga que hoje é ferramenta essencial na recolocação profissional, consiste basicamente em pessoas que já trabalharam com você ou que conhecem o seu trabalho, de qualquer forma a primeira sugestão é enviar seu currículo para todos os seus conhecidos, amigos e familiares, não é novidade para ninguém que entrar em um emprego por indicação (o famoso "QI") é mais fácil pois muitas vezes a pessoa que lhe indicou conhece seu trabalho ou sua personalidade, algumas empresas realmente se sentem mais seguras contratando um profissional conhecido.
Para enviar seu currículo por e-mail o fomato desejável é o .DOC do MS-Word, em alguns casos as empresas preferem receber currículos diretamente no corpo do e-mail ou em formato .PDF.Alguns sites na Internet disponibilizam ferramentas e formulários próprios para o candidato se cadastrar às vagas, nesse caso você pode copiar e depois colar os dados do currículo de forma a preencher os formulários, o único inconveniente nesse método é que muitos desses sites pedem dados de documentos como o RG e o CPF para realizar o cadastro, portanto, antes de sair cadastrando seu currículo em qualquer site verifique a idoneidade do mesmo e leia atentamente as cláusulas do contrato sobretudo no que diz respeito a privacidade das informações ali inseridas.
 
2.2.G - Entrevistas
Aqui começam os temores que assolam a grande maioria dos profissionais, como se vestir, como se comportar, o que falar, etc.
 
1o. Preparação
Se preparar para uma entrevista é fundamental para seu sucesso, procure com certa antecedência separar seu vestuário, dinheiro para condução e alimentação, o itinerário mais rápido ou fácil para chegar ao local da entrevista com folga, se possível procure saber um pouco sobre a empresa como ramo de atividade, posição no mercado, número de funcionários, principais parceiros e clientes, etc.
Se necessário com a ajuda de um amigo ou familiar faça uma entrevista simulada, pode parecer uma brincadeira mas ajuda a prepará-lo comportamental e emocionalmente.
Lembre-se sempre de carregar consigo um currículo impresso e devidamente atualizado, muitas vezes o entrevistador não foi a pessoa que recebeu seu currículo, na dúvida é melhor estar preparado para essa situação.
 
2o. Pontualidade
Seja pontual, procure sair de casa com antecedência, se morador de grandes centros e capitais conte com engarrafamentos ou problemas logísticos de sua casa até o destino, evite atrasos, no máximo 10 minutos são admissíveis mas o ideal é chegar 15 minutos adiantado, assim sobra tempo de ser anunciado e relaxar um pouco.
 
3o. Apresentação
Podemos dizer que numa entrevista você é um vendedor e o produto a ser vendido é você mesmo! A melhor forma de se vestir para uma entrevista é usar roupas formais, aqui existem alguns fatores que devem ser considerados como a vaga ao qual está se candidatando, ramo de atividade da empresa, localização da empresa entre outros.No geral para os homens uma calça, camisa e sapatos sociais é o suficiente, em alguns casos terno e gravata podem melhorar a apresentação como por exemplo para cargos de Executivo, e não preciso dizer que sapatos devem estar bem engraxados, cabelo cortado e a barba bem feita.
Para as mulheres os mesmos elementos podem ser usados e no lugar do terno e gravata podem ser usadas saias abaixo dos joelhos e um casaco social, evite maquilagem em excesso bem como roupas com decotes acentuados.
Em ambos os sexos é importante que as roupas sejam confortáveis e adequadas às condições do tempo e temperatura, os cuidados com a higine pessoal também são essenciais mas nada de exagerar em perfumes, um bom desodorante do tipo roll-on (aqueles com bolinhas) já é o suficiente para evitar os efeitos da transpiração.
Calças jeans, camisetas estampadas e tênis devem ser reservadas para o seu lazer mas em algumas empresas é permitido o uso de vestuário "esporte" no ambiente de trabalho, de qualquer forma, após conquistar seu novo emprego fale com seu superior sobre o vestuário adequado no local de trabalho.
 
4o. Comportamento
Na medida do possível procure manter a calma, seja o mais natural possível, enfim, seja você mesmo, aqui destaco a importância de evitar "gírias", lembre-se, uma entrevista para emprego é um encontro formal, recomendo que você relaxe e tente tornar o ambiente descontraído mas nada de excesso com brincadeiras ou piadas.Alguns entrevistadores são serenos e procuram passar tranquilidade, outros são ríspidos e objetivos e ainda existem aqueles que gostam de aplicar testes psicológicos no objetivo de determinar seu perfil comportamental, seja qual for o método aplicado à entrevista, responda apenas o que for perguntado, sempre responda com convicção e clareza, seja sempre honesto e verdadeiro.
Mentir numa entrevista independente de ajudar ou não a conquistar uma vaga é um desvio de conduta sério, mas o difícil mesmo vai ser sustentar sua mentira após estar trabalhando principalmente se esta estiver relacionada às suas qualificações ou experiência profissional, nem preciso falar mais nada, certo?
 
5o. Posso perguntar?
Claro que sim, se por um lado a entrevista serve para o empregador conhecer você por outro também serve para você conhecer o empregador, o importante aqui é saber fazer as perguntas na hora certa, geralmente os entrevistadores falam um pouco sobre a empresa, o cargo e salário, os benefícios, forma de contratação e o que esperam do novo funcionário, se houver qualquer dúvida ou se o entrevistador se esqueceu de falar alguma coisa, pergunte, ele também está lá para isso, além de demonstrar interesse você analisa se realmente a oportunidade de trabalho está dentro daquilo que você está procurando.
 
6o. Apelo Emocional
Embora este tema esteja relacionado ao comportamento, optei por escrever um parágrafo só para enfatizar.
Abordagens como chorar, pedir "pelo amor de Deus", implorar, dizer que está passando fome, pedir ajuda ou qualquer outro artifício de comover o entrevistador são inúteis e demonstram instabilidade emocional do candidato, lembre-se, talvez você precise fazer 10 entrevistas para 1 dar certo, se não foi desta vez prepare-se para a próxima, quem sabe o que o futuro não lhe reserva?
 
7o. Fim da Entrevista
Ao término da entrevista agradeça seu entrevistador pela oportunidade, nada de beijos ou abraços, um simples aperto de mão é o suficiente, saia de cabeça erguida e agradeça as pessoas que lhe atenderam na recepção. (Não pelo emprego mas por educação.)
Na grande maioria das vezes você deverá aguardar por um novo contato, não existe uma regra, algumas empresas ligam para informar se você foi ou não aprovado, portanto, seja paciente e aguarde pelo retorno, não aconselho entrar em contato com a empresa que você fez a entrevista, se não receber retorno é porque você não foi aprovado, talvez no futuro exista uma nova oportunidade e você pode ser chamado novamente.
 
2.3 - A Conquista de um Novo Trabalho
"Parabéns, você está contratado!" Esta frase representa sua vitória, é resultado de seu empenho e o objetivo deste artigo é orientá-lo nesse processo, se fui ou não coadjuvante para seu sucesso não vem ao caso pois o mérito é todo seu.
 
3 - Armadilhas
Meu artigo não estaria completo se não abordasse algumas questões polêmicas que infelizmente afligem muitos dos que estão atravessando esta fase difícil, são as chamadas "armadilhas" que se caracterizam por ofertas milagrosas de emprego fácil em grandes corporações com salários altíssimos e cargos de alto nível, abordagens de anúncios de vagas com "pegadinhas" ocultas entre outros artifícios, telefonemas estranhos pedindo dados pessoais, etc.
 
3.1 - Indústria da Recolocação
Uma dúvida cruel para muitos profissionais recém-desempregados é se deve ou não investir em uma Consultoria de RH. Claro que só você pode responder essa pergunta, a verdade é que existem sim empresas sérias que auxiliam o profissional assim como existem outras que exercem do ponto de vista legal atividade ilícita.
Existem empresas no mercado que ajudam o profissional a elaborar um bom currículo, traçar um perfil psicológico e profissional e ajudam também na divulgação desse profissional junto ao mercado de trabalho e empresas parceiras, é natural que exista um custo para esse serviço e se tudo estiver devidamente discriminado em contrato não vejo maiores problemas.
O problema existe quando há "promessa" de emprego em troca de valores substanciais antes de sua concretização, na Internet existem sites que abordam profundamente o assunto, com milhares de relatos e inclusive informações sobre processos judiciais.
Mas como identificar tais empresas? Parece difícil mas existem algumas regras que podem ajudar na prevenção contra esse tipo de golpe, veja:
 
1a. Após cadastrar seu currículo em vários sites de emprego na Internet é natural você receber alguns telefonemas com propostas sérias de emprego mas também é comum receber alguns telefonemas estranhos onde a pessoa afirma ter uma vaga exatamente para o seu perfil, oferecendo um salário até superior ao do emprego anterior, note que esta pessoa está ansiosa e deseja marcar uma entrevista o mais rápido possível para preencher a vaga.
 
2a. Pode parecer incrível mas a grande maioria das empresas de recolocação estão localizadas em SP (Capital) na região da Av. Paulista, no Interior na região do Vale do Paraíba em São José dos Campos e no meio oeste na região de Campinas, portanto, fique atento a esses endereços.
 
3a. Nada impede que você vá a entrevista e até conheça a proposta da empresa, como disse no início existem empresas de recolocação sérias.
 
4a. Se for solicitado que assine algum documento ou contrato, peça para a pessoa lhe fornecer uma cópia, e que em casa junto de seus familiares irá analisar a proposta, se for interessante você volta e prossegue com a negociação, se houver um comportamento adverso simplesmente agradeça e vá embora.
 
5a. Não efetue nenhum tipo de pagamento antecipado sem saber realmente o que está pagando, se estão prometendo uma vaga de emprego e serviços correlatos avalie os valores e a proposta, da mesma forma que a dica anterior leve para casa e analise junto com familiares a proposta em questão.
 
6a. Se receber um telefonema solicitando dados pessoais ou de documentos desligue o telefone, como disse ao longo desse artigo essas informações só deverão ser solicitadas quando da efetivação do contrato de trabalho.
 
7a. Se realmente está disposto a contratar os serviços de recolocação, procure falar com pessoas que já usufruíram desses serviços, questione a qualidade e o resultado obtido através deles.
 
8a. Alguns sites de emprego na Internet são pagos, outros são gratuitos, geralmente os pagos oferecem um período de 7 dias para avaliação, na dúvida após a avaliação contrate por um mês e veja o resultado, existem muitos casos de sucesso mas existe também muita propaganda enganosa.
 
9a. É normal que alguns sites mesmo os gratuítos solicitem algum tipo de documento como forma de indentificar o usuário, isto é necessário para evitar duplicidade de cadastros e inibe pessoas mal-intencionadas de usarem esses serviços de forma duvidosa, como mencionei anteriormente se o site for idôneo e existir uma política de privacidade das informações dos usuários não há maiores problemas em fornecer esses dados.
 
10a. Desconfie de qualquer oferta de emprego perfeito, se arrumar emprego já é difícil imagine um emprego perfeito!
 
3.2 - Pegadinhas de anúncios
É quase que um padrão mas geralmente observa-se nos anúncios a famosa expressão "envie seu currículo com pretensão salarial", isso é o mesmo que dizer "iremos empregar o candidato que pedir menos".
Eu acredito que da mesma forma que existe uma descrição detalhada das qualificações necessárias ao cargo deveria também haver uma descrição detalhada do salário e dos benefícios oferecidos, dessa forma somente candidatos dentro do perfil dispostos a trabalhar por aquele salário enviariam seus currículos, mais simples não? Bem, por outro lado, podemos crer que essa prática possa auxiliar o empregador que desconheçe o mercado de trabalho à estabelecer um salário que esteja entre o que ele realmente pode oferecer e o que os profissionais pedem.
 
Outro problema que observo nos anúncios é a exigência indiscriminada de qualificações, principalmente àquelas vagas destinadas aos estagiários.Um estagiário por definição exerce dentro de uma empresa uma função para adquirir conhecimento e experiência, aplicar o que está aprendendo na Faculdade ou no Colégio à prática, enfim, vivenciando e aplicando no dia-a-dia o conhecimento adquirido, portanto, é no mínimo um contracenso exigir experiência e certas qualificações para vagas de estágio.
 
Igualmente problemático é o nível de exigência de algumas vagas destinadas aos profissionais experientes, existe uma miscelânea de funções, analistas com programadores, administradores de rede com analistas de suporte, desenvolvimento com infraestrutura, ERP com BI, BI com CRM e isso só para citar alguns.
 
Em países de 1o. Mundo os profissionais especialistas são valorizados, já nos países de 3o. Mundo há uma tendência à profissionais generalistas, no Brasil as empresas querem profissionais generalistas especialistas, o famoso (faz tudo e tem que ser bem feito), na Utopia de um mundo perfeito isso seria possível, na prática percebemos que não, enfim, em que mundo algumas empresas vivem?
 
3.3 - Se eu fazer um curso será que consigo arrumar emprego?
Essa é uma pergunta recorrente nos fóruns de TI, muitos desempregados pensam em ingressar num curso para melhorar suas chances de conseguir emprego, e há entidades de ensino que utilizam esse pensamento como estratégia de marketing.
Eu costumo dizer que se há disponibilidade de recursos para fazer um curso e se especializar por quê não fazê-lo? Informação e conhecimento nunca é demais, mas não leve isso ao pé-da-letra, fazer um curso não significa arrumar emprego, lembre-se que além do conhecimento as empresas exigem experiência.
Cursos de especialização costumam ser onerosos, portanto, é preferível nos prepararmos para o mercado de trabalho enquanto ainda estamos empregados.
 
4 - Conclusão
A idéia inicial não era criar um artigo tão extenso, no intuito de redigir um artigo bem amplo acabei me alongando um pouco.
Espero que este artigo sirva à seu propósito, que é orientar e fornecer dicas para auxiliá-lo na busca por um novo emprego, mas lembre-se, que os resultados dependem única e exclusivamente de você, com este artigo não estou garantindo e tampouco afirmando que você será empregado.
 
Sucesso a todos!
 
Denis Squillante (tudobr@yahoo.com.br)
Profissional de TI há mais de 16 anos com sólida experiência em Hardware, Redes de Computadores e Sistemas Operacionais.